Quem já não esteve fora de casa e sentiu aquela vontade de fazer um lanche rápido ou dar uma paradinha para comer ou tomar uma cervejinha com um amigo sem a formalidade de um restaurante?

Com preços bem mais atrativos e um estilo mais moderno, os food trucks, têm se multiplicado em Pernambuco e com a facilidade de mobilidade eles podem estar presentes em eventos, parques e praças, fazendo um movimento itinerante em busca do seu cliente.

O Locais e Sabores, procurou entrar um pouco na pegada desses “Foods” para entender melhor a rotina de funcionamento e conversamos com a empresária Eveline Porto, que é proprietária do Porto Truck e foi muito gentil ao nos receber e nos deu informações preciosas para quem deseja navegar por essas águas.

LS.  Eveline, qual a expectativa para esse mercado?

EP. Esse mercado é muito promissor, mas ainda tem muita gente amadora trabalhando, tem pessoas que perderam o emprego e para não ficarem parados, abrem um “Food” sem ter experiência necessária, sem conhecer o mercado e sem conhecer os procedimentos de uma cozinha profissional.

LS. Então por que abrir um Food Truck?

EP. O Food Truck é o negocio do momento, tem muitas possibilidades, a burocracia e o investimento são menores do que para montar um restaurante, precisa-se de menos funcionários e a manutenção do estabelecimento sai bem mais em conta. O faturamento pode girar em torno de quatro a dez mil reais por mês, podendo ultrapassar essa barreira, dependendo das variáveis do ponto.

LS. Quais as vantagens e desvantagens de estar em um Food Park?

EP. Aqui no Food Park nós temos uma infra-estrutura montada para instalar nossos trailers, com ponto de luz, água encanada, banheiros, segurança privada, varias opções gastronômicas, etc. Nos pontos negativos é que nos ficamos limitados a fornecer um determinado tipo de comida, porque não podem ter dois Trucks vendendo a mesma coisa, pagamos um aluguel pela estrutura que varia de acordo com o tamanho do Truck e não temos a liberdade para vender bebidas porque elas já são do bar, então é necessário pesar bem essas variáveis, para saber se vale a pena ou não entrar num Food Park. Encontrar um ponto onde você possa oferecer todo tipo de comida e vender a sua própria bebida é uma meta a ser atingida.

LS. Qual o investimento necessário para montar um Food Truck?

EP. Varia muito, vai depender do tipo de comida que deseja vender, o tamanho do trailer, a quantidade de equipamentos que deseja coloca na estrutura, etc. Eu planejei o Porto Truck, ele foi uma criação minha, talvez por isso tenha saído um pouco mais caro, porque o meu investimento foi de aproximadamente R$40.000,00 entre estrutura e todos os itens necessários a uma cozinha profissional.

LS. Como você entrou nesse mercado?

EP. Eu trabalhava com T.I. e também era corretora de imóveis, mas cansei disso tudo e fui atrás de um sonho que era fazer um curso de Gastronomia e fiz no Senac um curso de dois anos e meio, estudei bastante o mercado e entrei de cabeça.

LS. E como está sendo pra você, agora que atingiu essas metas?

EP. Eu amo cozinhar, mas a cozinha não é para os fracos. Acordar muitas vezes as 5h da manhã ou ainda mais cedo, ir pra feira comprar os melhores ingredientes, ficar horas preparando a comida e no final do dia ficar mais umas 4 a 5h em pé dentro do trailer não é para todo mundo, por isso muita gente desiste.

LS. Muito obrigado por essa conversa Eveline, aprendemos muita coisa.

EP. Eu que agradeço e para quem quiser saber mais do Porto Truck, é só nos acompanhar em nosso Instagram @portotruck, que passamos todas as nossas informações.

O Porto Truck fica localizado na Rua Dr. José Maria 299 – Encruzilhada, Recife

Seus pratos giram em torno de R$8,00 a R$17,00 e toda sexta tem uma caldeirada especial e como diferencial, trabalham também com vinhos.

 

 

 

 

 

Posts Relacionados